Como organizar marmitas escolares (e não só!)

este ano tomei uma decisão que estava a adiar: enviar toda a alimentação dos meus filhos para a escola! são várias as razões que me levaram a tomar esta decisão e, como disse, a ideia já é antiga. digamos que este ano ganhei coragem…para testar 😀

sempre que se fala em marmitas e, principalmente, marmitas escolares, surgem muitos receios. o primeiro de todos creio que é o tempo e a logística necessários. poucos duvidam que, em geral, a comida (de verdade!) feita em casa é superior nutricionalmente à servida na escola. mas compensará o esforço em tempo e dinheiro? tinha de testar! cada caso é um caso e para a minha realidade, identifiquei os seguintes prós e contras:

prós

  • ter maior controlo sobre o que se come
  • ter uma alimentação mais saudável, nutritiva e variada
  • fazer menos refeições fora de casa
  • gerar menos desperdício
  • gastar menos dinheiro*

contras

  • perder mais tempo nas compras
  • perder mais tempo a cozinhar
  • ter de acordar mais cedo para montar a marmita
  • ter menos tempo para mim
  • acumular tarefas
  • maior dificuldade de integração, pressão dos pares (ser o “diferentinho”, o “esquisitinho”)
  • gastar mais dinheiro*

*em relação a este ponto, terei de fazer as contas no próximo mês.

porque será que a minha decisão pendeu para o “sim”, se identifiquei mais contras que prós?

aparte o peso da questão financeira, a qual terei de verificar, também quero dar PRIORIDADE à alimentação dos meus filhos fora de casa. uma vez que o mais velho já frequenta o JI há mais tempo, porquê só agora?! porque o factor ” integração” pesou um pouco mais.

o que tenho observado é que desenvolveu muito as suas competências sociais e tem uma consciência aos 5, que muitos de nós (me!) só ganham mais tarde. é uma criança que já consegue distinguir opções boas e menos boas, fazer escolhas saudáveis (não em 100% das vezes, claro!), sabe os efeitos negativos de uma alimentação pobre, questiona a razão pela qual se dão determinados alimentos às crianças (glup!) e até já tenta influenciar os amigos mais próximos (pausa para baba lol). não que a pressão dos pares tenha desaparecido, mas espero que seja suplantada pela consciência de que come alimentos saudáveis e, importantíssimo, por gostar daquilo que come! 😉

mas ainda estamos muiiiito no início. não sei o que nos espera nos próximos capítulos!

continuando…estabelecendo o princípio de que esta é uma prioridade, foi menos difícil desarmar os restantes contras. aliás, o principal contra… pois é sempre ele, o recurso mais precioso à face da terra: o tempo!

na série “gerir uma vida saudável” falo muito sobre ele e de como é importante geri-lo de forma inteligente.

E neste novo “projecto” tive de recorrer a todas as minhas técnicas de organização e planeamento (e mais algumas), criando o sistema de organização de marmitas Simplify Eat que partilho aqui 🙂

até já!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.