Como organizar o frigorífico e gerar menos desperdício

No seguimento da promessa feita no artigo anterior, hoje venho mostrar como organizar o frigorífico e gerar menos desperdício de alimentos.

Já sabemos que planear as refeições tem inúmeras vantagens, não só pela redução da carga mental, como também pela maior rapidez nas compras e minimização do desperdício alimentar.

Se quisermos subir ainda mais um degrau na escada da eficiência, penso que vale a pena dedicarmos um tempinho a organizar o frigorífico e não apenas a “atirar” as compras lá para dentro.

Já não me recordo onde li que “cada coisa tem a sua casa”. Talvez num dos livros da Marie Kondo 😀

Esta é uma regra fácil de aplicar mas difícil de manter, à semelhança de qualquer novo hábito. Há que ser consistente, para que se torne automático.

Aplicada à organização do frigorífico, a frase da Marie Kondo faz todo o sentido pois cada alimento tem uma zona óptima de acondicionamento, que corresponde à temperatura que garante a sua salubridade, maior longevidade e qualidade nutricional.

Como organizar o frigorífico e gerar menos desperdício?

Num frigorífico a temperatura deve situar-se abaixo dos 5 graus Celsius mas não é homogénea: a parte de cima é mais quente que a de baixo e a temperatura é mais elevada à frente (perto da porta), sendo mais baixa atrás (encostada à parede).

A porta é a zona mais quente e está sujeita a grande variação de temperatura, por isso nunca lá devem ser colocados os ovos mas sim os condimentos, molhos e bebidas. Por vezes também coloco na porta as ervas aromáticas (coloco os pézinhos num copo com água e cubro as folhinhas com um saco plástico).

Nas prateleiras superiores devem ser colocados alimentos prontos a comer, saladas, frutos silvestres, sobras, iogurtes, queijos, carnes processadas (fiambres e afins); enquanto que carnes e peixes crús, devem ser colocados nas prateleiras inferiores (zona mais fria).

Relativamente à carne e peixe descobri uma dica muito prática: acondicionar de acordo com a temperatura a que são cozinhados.

Assim, de baixo para cima colocamos no frigorífico:

  1. Carnes de aves, pois são as que requerem temperaturas mais elevadas (~74 graus Celsius)
  2. Carne moída, manuseada (amaciada e/ou temperada) (~68 graus Celsius)
  3. Peixe e os produtos do mar, vaca, porco, borrego, peças para assar (~63 graus Celsius)

[Ver imagem aqui]

Claro que se o teu frigorífico não tiver assim tantas prateleiras o mais seguro será acondicionar todas as proteínas animais cruas na prateleira mais baixa.

Então e os vegetais e a fruta?

Como disse acima, as saladas, ervas aromáticas e outras folhinhas coloco nas zonas menos frias (prateleira superior e/ou porta).
Normalmente aconselha-se a acondicionar fruta e vegetais naquelas gavetas que ficam abaixo da prateleira inferior, as “crispers”.
Como o meu frigorífico só tem uma gaveta e detesto fruta fria apenas uso para os vegetais.
Nos frigoríficos em que existem duas, o ideal é separar alguns frutos e vegetais. Porquê?

Alguns frutos produzem maior quantidade de etileno. O etileno é uma hormona, em forma de gás, que desencadeia o processo de amadurecimento dos vegetais.
Existem frutos que são grandes produtores de etileno e que nunca, em tempo algum, devem ser acondicionados com vegetais e outros frutos, mais sensíveis ao seu efeito.

Frutos que produzem etileno
maçã
alperces
abacate
banana madura
meloa
kiwi
manga
nectarina
papaia
maracujá
pêssego
pêra
dióspiro
ameixa
tomate (sim, é um fruto!)

Fruta e vegetais mais sensíveis
banana verde
feijão verde
endívias
brócolos
couves-de-Bruxelas
couves
cenouras
couve
acelga
pepino
beringela
quiabos
salsa
ervilhas
pimento
espinafre
curgete
batata-doce
agrião
melancia

Fonte: HuffPost

Esta também é uma dica que pode funcionar ao contrário: se tiveres abacates ou bananas verdes, coloca-os perto das maçãs ou junta-os num saco ou caixa de papel, para acelerar o processo de amadurecimento 🙂

Mas será que devemos colocar TODOS os alimentos no frigorífico?

Não. Existem alimentos que não devem ser acondicionados no frigorífico. Nesse grupo inclui-se o tomate, a cebola, a batata, os alhos, batata-doce e abóboras inteiras (havia de ser bonito colocar uma abóbora menina dentro do frigorífico lol).

[Já agora aproveito para reforçar a importância da sazonalidade e das suas vantagens no combate ao desperdício de alimentos pois muitos deles, se comprados na Estação adequada, conservar-se-ão muito melhor à temperatura ambiente, sem necessidade de refrigeração.]

E que outros alimentos habitualmente coloco no frigorífico?

Agora entramos no campo da Andrea-cientista pois por investigação e tentativa-erro tomei a decisão de colocar no frigorífico alguns alimentos ricos em gordura como por exemplo as sementes de chia e de linhaça. Eu explico 🙂

Tanto a chia como a linhaça são ricas em ácidos gordos ómega-3, que são essenciais (não os conseguimos sintetizar) e importantíssimos para a saúde do cérebro, para combater a inflamação entre tantos outros benefícios.
Estes ácidos gordos são extremamente instáveis e podem facilmente degradar-se na presença de oxigénio, elevada temperatura e luminosidade. É a razão pela qual as garrafas de azeite são escuras e não devem ser colocadas perto do fogão e outras fontes de calor.

A degradação dos lípidos, sejam os polinsaturados ómega-3 (linhaça, chia) e ómega-6 (oleaginosas), monoinsaturados (azeite, abacate) ou saturados (coco ou manteiga) origina compostos que conferem aquele sabor rançoso que todos reconhecemos e detestamos. Blhec!

E se está rançoso, é porque houve degradação. Se houve degradação é porque aquele óleo/gordura já não está na sua forma original e portanto os seus benefícios são postos em causa (no mínimo!). Quando isto acontece, eu prefiro “passar”.
Portanto, sementes de linhaça e de chia já abertas, coco ralado, nozes e nozes pecãs vão também para o frio 🙂

Espero que este artigo te ajude a organizar o frigorífico e gerar menos desperdício em tua casa.

Seguimos juntos na causa do combate ao desperdício alimentar! 🙂

2 thoughts on “Como organizar o frigorífico e gerar menos desperdício

  • Vera

    Que boas dicas!!! Nunca me tinha ocorrido que os ovos não deviam estar na porta do frigorífico, nem que se devia colocar alguns frutos secos e sementes no frigorífico, mas faz todo o sentido… (só punha as sementes de linhaça porque li algures que oxidava). Só uma dúvida: sementes e oleaginosas devem ser colocadas em que parte do frigorífico? Na porta ou na parte superior?

    • Olá Vera! Ainda bem que foi útil 🙂 A chia e as nozes coloco na porta mas podes colocar nas zonas menos frias. No verão é mais importante que no inverno e eu faço-o sobretudo porque tenho a máquina na despensa o que faz com aqueça mais do que eu gostaria para lá guardar coisas sensíveis como estas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *